Quando o paciente precisa de Home Care

A importância do farmacêutico na Sociedade
20 de janeiro de 2022

Para que o paciente seja internado em home care é preciso atingir vários critérios. Esses fatores comprovam que tipos de cuidados técnicos demandam uma assistência técnica domiciliar.

Esses critérios estão previstos na Tabela de Avaliação da Abemid – Associação Brasileira das Empresas de Medicina Domiciliar. Essa tabela oferece uma escala com critérios técnicos que estabelecem uma pontuação determinando a necessidade ou não de atendimento domiciliar.

 

Quando o home care é necessário

Os cuidados do home care incluem atendimento, monitoramento e internação. O atendimento é um serviço ambulatorial, que inclui consultas, cuidados de enfermagem e administração de remédios.

O monitoramento é um serviço que adapta os pacientes crônicos a uma nova rotina. Já a internação é indicada para pacientes que estão estáveis para precisam de uma estrutura personalizada, com equipamentos que vão dar suporte à vida.

Para analisar qual modelo de home care mais indicado e a sua real necessidade, são avaliados vários critérios, tais como:

  • necessidade de suporte terapêutico
  • necessidade de terapias seriadas como fonoaudiologia, terapia ocupacional, fisioterapia
  • capacidade ou não de locomoção
  • realização de quimioterapia
  • grau de dependência em realizar atividades pessoais básicas diárias
  • presença de lesão cutânea ou vascular
  • necessidade de suporte ventilatório

Cada um desses dados possuem uma pontuação específica, que ao final, permite avaliar se há necessidade de atendimento domiciliar e qual será o nível de assistência. De acordo com a Tabela Abemid, seguem as indicações abaixo:

Até 7 pontos – O paciente não é elegível para home care.

Entre 8 e 12 pontos – O paciente demanda internação domiciliar de baixa complexidade, ou seja, até 6 horas de cuidados de enfermagem.

Entre 13 e 18 pontos – O paciente é elegível para home care de média complexidade, com até 12 horas de cuidados.

Acima de 19 pontos – O paciente demanda internação domiciliar de alta complexidade, ou seja, 24 horas sob cuidados.

 

Benefícios do atendimento domiciliar

O home care é indicado para pacientes crônicos que possuem problema de locomoção, pacientes oncológicos e pacientes que tem condição clínica estável, que são capazes de fazer o acompanhamento de tratamento em casa.

É importante organizar o ambiente domiciliar para receber o tratamento e manter a mesma qualidade e segurança que existe no ambiente hospitalar.

O serviço de atendimento domiciliar pode ser feito por uma série de profissionais, como:

  1. Cuidadores
  2. Enfermeiros
  3. Fisioterapeutas
  4. Médicos
  5. Terapeutas ocupacionais
  6. Fonoaudiólogos
  7. Psicólogos
  8. Assistentes sociais

Quer saber mais sobre o atendimento home care? Clique aqui.