Cuidados de enfermagem em pacientes com traqueostomia

Gestão Hospitalar: Como classificar produtos hospitalares
29 de dezembro de 2021
A importância do cateter implantável para quimioterapia
13 de janeiro de 2022

Desde o final do ano, os casos de Covid-19 aumentaram no Brasil. Com isso, os cuidados de enfermagem em pacientes com traqueotomia se tornaram mais intensos. O objetivo é evitar complicações crônicas e infecções pulmonares, que podem afetar de forma significa a qualidade de vida e recuperação dos pacientes.

Os enfermeiros precisam entender a complexidade do quadro de cada paciente, para verificar de forma constante a presença de secreções e os procedimentos de assepsia.

Além disso, é importante contar com o auxílio de outros profissionais como fisioterapeutas, infectologistas, entre outros.

 

Quando o paciente precisa de traqueostomia

A traqueostomia é um procedimento cirúrgico indicado para pacientes que apresentam obstrução de vias aéreas por conta de: queimaduras, traumas, disfunção da laringe e neoplasias na região.

Após uma análise médica e fisioterapeuta, o paciente sofre uma sedação e anestesia local para ser introduzido uma cânula que deve ser condizente com a anatomia do seu pescoço. Além disso, há outros componentes essenciais para que a traqueostomia funcione bem. São eles: cânula interna, balonete insuflável, entre outros.

 

Principais cuidados em pacientes com traqueostomia

 

A principal função da traqueostomia é desobstruir as vias aéreas. Pensando nisso, é essencial assegurar que a oxigenação e a ventilação estejam adequadas a necessidade do paciente.

Recomenda-se a análise de todos os sintomas e complicações para manter a melhor ventilação e oxigenação.

Além disso, os pacientes com traqueostomia devem ser monitorados constantemente. Tudo precisa ser anotado no prontuário, incluindo:

  • Sinais de infecção e dor;
  • Quantidade de secreções retiradas num determinado intervalo de tempo;
  • Qualquer tipo de alteração do estado clínico após o paciente receber medicamentos.

Qualquer sinal de anormalidade pode levar a novas intervenções clínicas e retardar a melhora do paciente.

Risco de infecção

O principal risco em pacientes com traqueostomia é o de infecção. A probabilidade é grande, o paciente está um unidades de terapia intensiva, debilitado, com baixa imunidade.

Pensando nisso, os cuidados de enfermagem devem ser maiores, desde a manipulação dos medicamentos até os procedimentos executados. Diariamente, os enfermeiros devem verificar a posição da cânula e identificar se há presença de secreções, expressões de dor, aumento de temperatura corporal ou local do paciente, entre outros.

Para reduzir os riscos de infecção é importante que a equipe de enfermagem se higienize constantemente.

Além disso, é fundamental que a boca dos pacientes com traqueostomia seja limpa e higienizada com frequência. Como o paciente fica com a cavidade oral aberta por muito tempo, é necessário contar com um profissional especialista em limpeza de cavidade oral. Isso vai ajudar a reduzir infecções.

Como visto, os cuidados de enfermagem em pacientes com traqueostomia devem ser diários para evitar infecções e piora no quadro clínico.

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e conheça todos os nossos produtos para traqueostomia.