Saúde bucal: aprenda a se prevenir de doenças que acometem a boca

Dia Mundial da Segurança do Paciente
17 de setembro de 2020
Segurança x Serviços de alimentação
6 de novembro de 2020

Muitas pessoas cuidam da saúde do corpo, mas esquecem uma parte importante dele: a boca. Escovação correta, uso do fio-dental e visitas periódicas ao dentista são ações simples que evitam patologias como a cárie e a doença periodontal. E o Dia Nacional da Saúde Bucal, dia 25 de outubro, objetiva alertar as pessoas sobre estes problemas.

Entre todas as doenças que afetam pessoas, a cárie é uma das mais prevalentes no Brasil e no mundo. A lesão de cárie, que pode se apresentar de diversas formas, ocorre, geralmente, por falta de escovação adequada e consumo de açúcares.

Alguns hábitos como o uso do palito de dentes e outros pode acarretar fratura dentária, ou seja, parte do dente ou de uma restauração pode quebrar, além disso o palito não é ideal para remoção de acúmulo de alimentos, visto que não remove corretamente as bactérias e restos alimentares além de gerar dano ao dente e a tecidos gengivais. Outro problema que tem aumentado na população é a erosão dentária, caracterizada como perda das estruturas do dente causada pela ação de ácidos, sem o envolvimento de bactérias.  Esses ácidos podem ser provenientes da alimentação com produtos naturalmente ácidos (sucos cítricos/vinagre), industrializados (refrigerantes, sucos de preparação pó e água) ou do retorno do ácido gástrico em razão do refluxo ou vômitos frequentes”, completa.

Neste assunto, o câncer de boca não pode ficar de fora. A maioria dos casos é provocado por tabagismo e ingestão de bebidas alcoólicas. Este tipo de tumor afeta os lábios e o interior da cavidade oral e é mais comum em homens. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) de novos casos de câncer de boca em 2018, foi de 14,7 mil.

Problemas mais comuns:

– Cárie: desintegração do dente provocada pela higiene inadequada, ingestão de doces e carboidratos ou, ainda, por complicações de outras doenças que diminuem a quantidade de saliva na boca. (Ex.: pessoas em tratamento quimioterápico ou radioterápico para o câncer).

– Lesões bucais e aftas: inchaços, manchas ou feridas na boca, língua ou lábios; podem ser provocadas por herpes labial, candidíase (sapinho) e próteses (dentaduras) mal ajustadas.

– Mau hálito: tem várias causas, dentre elas: higiene bucal inadequada (falta de escovação adequada e falta do uso do fio dental); gengivite; ingestão de certos alimentos como, alho ou cebola; tabaco e produtos alcoólicos; boca seca (causada por certos medicamentos, por distúrbios e por menor produção de saliva durante o sono); doenças sistêmicas como câncer, diabetes, problemas com o fígado e rins. A língua possui diversas papilas gustativas entre as quais se formam criptas, ou seja, saquinhos que retêm resíduos de alimentos, células descamadas que começam a fermentar, formando uma placa bacteriana esbranquiçada que aparece no fundo da língua, em direção à ponta, a chamada saburra lingual; essa é, sem dúvida, a principal causa do mau hálito.

– Gengivite: inflamação da gengiva provocada pela placa bacteriana.

– Placa bacteriana: é o conjunto de bactérias que coloniza a cavidade bucal. A placa bacteriana fixa-se principalmente nas regiões de difícil limpeza, como a região entre a gengiva e os dentes ou a superfície dos dentes de trás, provocando cáries e formação de tártaro.

– Tártaro: é o endurecimento da placa bacteriana na superfície dos dentes.

– eliminação da placa bacteriana por meio de escovação adequada e do uso do fio dental;

– limpeza da língua, utilizando um raspador, a fim de retirar a saburra lingual;

– uso racional do açúcar evitando o consumo excessivo de doces;

– utilização adequada do flúor, com cremes dentais fluorados;

– evitar o uso de próteses mal ajustadas;

– ir ao dentista regularmente.

– evitar o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas;

Prevenção de problemas bucais:

Se você tem mais de 40 anos de idade, é ou foi consumidor frequente de tabaco e bebidas alcoólicas, e encontrar alguma lesão procure um profissional de saúde para fazer um exame preventivo para o câncer de boca. O exame é visual, rápido e indolor. Quando o câncer é diagnosticado logo que surge, ele pode ser curado com mais facilidade.

Cuidados bucais

Além da escovação e do uso do fio-dental diariamente, sempre após o término das refeições, a recomendação do Ministério da Saúde, é a visita regular ao dentista. Nicole Aimée defende que avaliação diagnóstica, prevenção e promoção da saúde bucal ocorra antes mesmo de nascer o primeiro dente no bebê, seguindo por toda a vida. “Desde a primeira infância é importante fazer o trabalho de prevenção a doenças, especialmente contra a doença cárie. É importante também o dentista orientar sobre escovação com pasta de dente com flúor e a introdução de alimentos saudáveis, sem açúcar artificial, como balinhas, pirulitos, chicletes, sucos artificiais e refrigerantes. E depois na adolescência e fase adulta, continuar com orientações de como fazer a higienização adequada, quando há maior chance de ter doenças gengivais e periodontais”.

Veja abaixo um vídeo tutorial de escovação correta para crianças e adultos;

Geralmente as pessoas procuram o profissional de saúde quando já estão sentindo alguma dor, mas ir ao dentista antes para uma avaliação e higienização dos dentes, por exemplo, evita o aparecimento de doenças.

Quando há ferimentos na boca que não cicatrizam é preciso procurar o dentista para analisar se pode ser um caso de câncer de boca, especialmente quando a pessoa fuma e/ou ingere bebidas alcóolicas, teve sexo oral desprotegido, que tem risco para a infecção pelo HPV, e/ou expõe-se excessivamente ao sol sem proteção adequada.

Outro problema frequente é a halitose ou mau hálito, como é comumente chamado. Pode ter várias causas, como má higienização oral, problemas gástricos entre outros. É essencial que a pessoa busque um profissional para conhecer a origem desse agravo. Enxaguantes bucais podem ser comumente utilizados para mascarar o odor, entretanto, essa medida normalmente não trata a causa, sendo somente uma ação paliativa. Ressalta-se que o uso do enxaguante bucal, não deve ser feito sem orientação e conhecimento do seu dentista, já que nem sempre o produto pode resultar só em benefícios, além de muitas vezes dar a falsa sensação de limpeza, promovida pela sensação refrescante.

É importante lembrar que o correto uso da escova, pasta fluoretada e fio dental já são responsáveis por evitar alguns agravos bucais, sendo assim, os enxaguantes são produtos suplementares e não necessariamente obrigatórios.

Fonte: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53813-saude-bucal-aprenda-a-se-prevenir-de-doencas-que-acometem-a-boca / http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/2531-25-10-dia-nacional-da-saude-bucal